Categoria: 21 Day Blogging Challenge

Namorar é Preciso Mas….Todos os Dias!

Namorar é Preciso Mas….Todos os Dias!

Se Te Dissesse Que Namorar é Preciso…Mas Todos os Dias!

Concordavas Comigo?

Na minha humilde opinião entendo que namorar é algo que deva fazer parte do dia a dia do casal quer seja na fase de namoro ou no pós casamento.

Há quem defenda que o namoro é um estágio anterior ao casamento. Por isso, para muitos, depois do casamento, não se namora mais. Que desperdício.
Alguém descreveu o que é um casamento sem namoro desta forma tão real : 

“Um casamento sem namoro é como um dia de sol sem praia, ou um dia de chuva sem cinema”.

 

Estando nós casados à 36 anos sempre tivemos o cuidado de preservar momentos a dois.

Somos Pais de dois rapazes já adultos, mas mesmo quando eram crianças tentávamos tirar nem que fossem dois dias por ano só para nós.

Hoje temos a certeza que esses momentos juntamente com aquela mensagem enviada primeiro em papel e mais recentemente por telemóvel, a oferta de uma flor sem data marcada, a surpresa dum jantar a dois, e muitos outros foram fundamentais para ultrapassarmos os obstáculos que inevitavelmente aparecem na vida de qualquer casal e continuarmos unidos e firmes.

 

Trabalhando em algo que para além do prazer nos liberta financeiramente, proporciona-nos um estado de espírito de alegria e boa disposição, fundamentais para um relacionamento intenso e duradouro.

Deixo aqui uma frase para reflexão…

” O verdadeiro Amor Nunca se Desgasta. Quanto Mais se Dá Mais se Tem”

Até Breve

António e Milú

 

A Diferença Entre o Rir e o Sorrir e a Importância de Saber Sorrir!

A Diferença Entre o Rir e o Sorrir e a Importância de Saber Sorrir!

Há um fosso muito grande entre o riso e o sorriso. 

Bergson descreve e muito bem esta diferença: “O riso é algo que irrompe num estrondo e vai retumbando como o trovão na montanha, num eco que, no entanto, não chega ao infinito”. O sorriso, pelo contrário é silencioso como chuva mansa que cai e fertiliza a terra ou como brisa suave que acaricia e refresca o rosto. Enquanto o riso é extroversão, o sorriso desvenda delicadamente o interior de quem sorri.

Já Antoine de Saint-Exupéry abordando o poder do sorriso diz: “No momento em que sorrimos para alguém, descobrimo-lo como pessoa, e a resposta do seu sorriso quer dizer que nós também somos pessoa para ele”. 

Fantástica descrição!

O sorriso traduz, geralmente, um estado de alma; é um convite a entrar na intimidade de alguém, a participar do que lhe vai no íntimo. É por isso que o homem é o único animal que sorri; e, como é dotado de inteligência e vontade, pode sorrir quando tudo vai bem ou sorrir mesmo que as coisas corram menos bem – tudo se resume na harmonia interior.

É pois muito importante saber sorrir.

Um sorriso pode dissipar uma angústia, se for simpático, ou aumentá-la se for sarcástico; pode estimular um trabalho, se for de aprovação, ou desanimar quem trabalha se for cínico; pode criar uma amizade, se for sincero e transparente, ou um afastamento se for hipócrita; pode humilhar de modo irreversível se não for autêntico e espontâneo.

Mesmo quando e na área da educação se pretende repreender alguém o sorriso é muito importante. Não o sorriso que pactua com a asneira mas sim o que acompanha uma repreensão justa e que mostra ao visado, que apesar da dureza e firmeza da repreensão, há amizade e compreensão.

Muitas vezes passamos por fases na vida que nos tiram a vontade de sorrir. Há bem pouco tempo passei por uma dessas fases em que tinha a sensação que tudo ruía à minha volta.
Por coincidência, em conversa com uma amiga daquelas que estão sempre a sorrir de bem dispostas, perguntei-lhe como é que ela conseguia estar sempre feliz e a sorrir?

E ela explicou que também tinha, como todo a gente, os seus momentos de tristeza, de cansaço, de inquietude, de mal-estar, mas que tinha decidido nessas alturas sair dela mesma, interessar-se pelos demais compreendendo que a nossa alegria vai trazer felicidade aos que nos rodeiam.
E acrescentou que ao passar essa felicidade, acontece como que um reflexo, que se traduz em mais felicidade para dentro dela também.

Fez-me perceber a tempo que a solução era reagir e ultrapassar este momento menos bom.

Na situação de desemprego em que me encontrava, decidi procurar ajuda na internet.

Hoje trabalho em casa e tenho liberdade total para decidir os meus horários .

Tem sido uma sensação fantástica.

Adorava que pudesses sentir o mesmo.

Até Breve

Milú e António 

 

%d bloggers like this: